terça-feira, janeiro 17, 2012

Ministério pede imagens do suposto estupro no "BBB 12" para Globo

O Ministério das Comunicações afirmou que irá requisitar as imagens passadas em TV aberta no "Big Brother Brasil" para analisar se, ao tratar do suposto estupro cometido por Daniel Echaniz (foto), foram transmitidas imagens "contrárias à moral familiar e aos bons costumes", o que pode gerar a abertura de um processo de apuração por parte da pasta.

 
O ministério também solicitou que a verificação seja feita pela Anatel, agência estatal que regula a TV por assinatura  das imagens do possível abuso sexual foram transmitidos no "pay-per-view" do BBB.

Em tese, o processo de apuração pode resultar até mesmo na interrupção do serviço da Globo, diz o ministério, citando o Código Brasileiro de Telecomunicações.

As imagens requisitadas são dos dias 14 e 15/01/2012, e serão degravadas pela pasta.

O Ministério da Justiça, que estabelece as classificações indicativas da TV aberta mas não interfere no conteúdo pago, afirmou que está sendo realizada uma reunião nesta tarde para definir se irá se posicionar de alguma maneira em relação ao caso.

Também hoje, a Secretaria de Políticas para as Mulheres, subordinada à Presidência da República, lançou nova nota, dizendo que acompanha as apurações feitas pela Polícia Civil e o Ministério Público do Rio.

Boninho, diretor-geral do programa, chegou a interrogar Monique no confessionário. Na ocasião, ela teria dito que não se lembrava do que tinha acontecido.
“Olha, só se ele tivesse a capacidade de ter feito sexo comigo dormindo. Porque eu não me lembro de nada de sexo. Lembro de mão naquilo, aquilo na mão, agora sexo, não. Só se ele for muito mau-caráter de fazer comigo dormindo. Eu me lembro apenas do Rafa deitando e eu dormi. E realmente é só isso que eu lembro, que a gente passou a mão um no outro. Eu fiquei com tesão. Eu lembro que ainda dei um pulo na cama, pro outro lado, contrário do dele, e falei: ‘Para. Chega, chega’”, disse.
Mas Monique não conseguiu se tranquilizar e diz que o verdadeiro motivo de sua preocupação foi o fato de ter sido chamada no confessionário.
A mãe de Daniel, Sra. Aparecida Rodrigues (foto) em entrevista à Record Notícias, nesta terça-feira (17), respondendo a uma pergunta da repórter se a rede globo teria entrado em contato com ela pra conversar sobre o caso, disse: “Ninguém entrou em contato comigo não! Não me procuraram pra nada, não sei o por quê, eu acho que deviam me procurar, mas até agora não me procuraram, nenhuma satisfação, apesar de que eu agradeço muito o que tenho ouvido nos sites, o Boninho tá de acordo que acha que o Daniel sofreu ‘racismo’, porque esse assunto de edredom do BBB, isto é muito comum, todo BBB sempre tem...”
Mãe de Daniel acha que sua eliminação foi 'vítima de racismo', e afirma que as imagens não provam nada, apesar da grande movimentação por debaixo do edredom.
O delegado Antônio Ricardo não descartou a hipótese de pedir à Justiça mandado de busca e apreensão na casa do ‘BBB’. Segundo ele, todas as medidas necessárias serão tomadas para esclarecer o caso, como, por exemplo, saber a quantidade de bebida ingerida por Monique durante a festa ou colher roupas íntimas e edredom para encaminhar à perícia.
Sobre a expulsão de Daniel do programa, a Central Globo de Comunicação divulgou nota alegando que a decisão aconteceu “devido a um grave comportamento inadequado” e “após rigorosa avaliação da Globo”.
Mas ficam interrogações [???] no ar. Daniel foi ou não vítima de 'racismo'? Sua eliminação foi justa? É justo Monique permanecer na Casa já que contribuíu pra que tudo acontecesse?

Nenhum comentário:

Postar um comentário