sábado, junho 22, 2013

Multidão caminha rumo ao Mineirão e entra em conflito com Força Nacional

    Pessoas tiram foto da multidão em cima do telhado. Manifestação parte para o Mineirão





Uma nova onda de protestos chegou ao Mineirão neste sábado à tarde com a presença de mais de 125 mil pessoas, segundo dados não-oficiais da Polícia Militar de Minas Gerais. A passaeta caminhava em clima de paz até os arredores do estádio, quando entrou em conflito com a Força Nacional de Segurança, que conteve o grupo com bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha e spray de pimenta.
O número total de manifestantes rumo ao palco da partida entre México e Japão, pela Copa das Confederações, não foi confirmado de maneira oficial, pois estava crescendo no decorrer do trajeto.
A marcha deixou a Praça Sete, no centro de BH, por volta das 13h30 e seguiu cerca de 15 quilômetros em direção ao Mineirão. Ela continuou na avenida Antônio Carlos, passando pelo viaduto José Alencar, até chegar ao cordão de isolamento, localizado a dois quilômetros do estádio.
 
Os manifestantes se concentraram em grande número na frente do bloqueio da Força Nacional, quando o conflito começou. A situação ficou ainda pior quando parte do público presente no protesto se dirigiu para a avenida Abrahao Caram, e a Força Nacional disparou mais de 20 bombas para segurar o público presente na passeata.  
Indignadas com o conflito, algumas pessoas começaram a jogar pedras em vidraças e casas por onde passavam, mas foram contidos por outros manifestantes.  
O clima era mais de festa do que de protesto antes do confronto. Apesar dos cartazes com criticas à corrupção e à Copa, os manifestantes caminhavam como se fosse dia de jogo do Brasil. Muitos carregaram a bandeira do país em mastros ou enrolada em corpo, colorindo de amarelo toda a extensão da massa por BH.
"O clima de alegria e amor pelo Brasil não significa que não estamos insatisfeitos e protestando. Não vamos deixar a corrupção deixar a nossa alegria que é natural do nosso povo", chegou a afirmar Marina Fausto, de 21 anos, estudante do terceiro ano de arquitetura.
Além das bandeiras do Brasil, a marcha contou com bandeiras de arco-íris, símbolo no movimento GLBT. Não havia símbolos partidários no decorrer do trajeto. Algumas pessoas chegaram a levantar bandeiras da CUT (Central Única dos Trabalhadores) timidamente, mas foram obrigados a baixá-las a todo momento a pedidos dos manifestantes. 
Quando a passeata estava na avenida Antônio Carlos, o Terceiro Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar ainda abriu uma mangueira de água para oferecer aos manifestantes.
Ao todo, mais de 40 mil ingressos foram vendidos para a partida. México e Japão já estão eliminados do torneio e disputam apenas a terceira colocação do Grupo A depois de ambas terem sido derrotadas por Brasil e Itália nas duas rodadas inicias da Copa das Confederações. Fonte;Uol.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário