Copa das Confederações de 2013 - Rodada 3 - 22/06 - 16h00 - Arena Fonte Nova

Itália  2
X 
4  Brasil

  • Giaccherini 5 ' (2T)
  • Chiellini 24 ' (2T)
 
  • Dante 45 ' (1T)
  • Neymar 9 ' (2T)
  • Fred 20 ' (2T)
  • Fred 42 ' (2T)
  • Celso Paiva
    Direto de Salvador (BA)
  • Dassler Marques
    Direto de Salvador (BA)
  • Fábio de Mello Castanho
    Direto de Salvador (BA)
  • Henrique Moretti
    Direto de Salvador (BA)
​A insistência nos treinos de falta por parte de Luiz Felipe Scolari deu resultado neste sábado. Com a ajuda de um gol feito em uma cobrança direta de Neymar, a Seleção Brasileira derrotou a Itália por 4 a 2, na Fonte Nova, e quebrou jejum no fundamento que perdurava desde outubro de 2011, quando Ronaldinho acertou o ângulo mexicano no amistoso disputado em Torreón.
Desde então, a Seleção só havia marcado gols no fundamento com o time olímpico, quando o próprio Neymar deixou sua marca diante da Belarus nos Jogos de Londres. Este foi o sexto gol de falta do atacante na carreira.
O fraco aproveitamento do Brasil fez Felipão dar atenção especial ao fundamento nos últimos dois treinos de véspera de partidas. Neymar, Hulk e David Luiz perderam inclusive parte de um rachão para afiarem a pontaria.
O cuidado extra valeu a pena em um cenário ideal. Aos 9min do segundo tempo, pouco tempo depois de os italianos terem empatado, Neymar pegou a bola na intermediária esquerda e rumou em direção à área. Foi parado com falta por Maggio.
Neymar abraça seus compnheiros; mais uma decisivo Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Neymar abraça seus compnheiros; mais uma decisivo
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
O próprio Neymar se encarregou da cobrança e acertou o ângulo esquerdo de Buffon, eleito o melhor goleiro do mundo em 2006 e até hoje considerado entre os tops de sua posição. Para muitos, ele ainda é insuperável.
Além de quebrar a maldição de faltas, o gol coloca Neymar na artilharia do Brasilna Copa das Confederações. Ele marcou um por partida e mantém uma média invejável depois de ter sofrido com um jejum de nove jogos até deixar sua marca contra o Japão.
Se Neymar não repetiu a atuação extraordinária contra o México, mais uma vez mostrou-se decisivo para o Brasil. E mais uma vez mostrou muita disposição na marcação. Deixou o campo aos 22min do segundo tempo, poupado por Felipão, com seis faltas cometidas e um cartão amarelo. Abate teve de deixar o campo depois de sofrer a falta de Neymar