sexta-feira, outubro 10, 2014

Primeiro suspeito de ebola no Brasil deve chegar hoje ao Rio

Missionário de 47 anos chegou ao Brasil no dia 17 de setembro vindo da Guiné, na África, e está isolado em uma unidade de Saúde em Cascavel, no Paraná

O DIA
Paraná - O Ministério da Saúde confirmou, em nota, o primeiro caso de suspeita de infecção por ebola no Brasil. Trata-se de um missionário de 47 anos, que veio da Guiné, na África, para o Paraná no dia 17 de setembro.
O paciente foi isolado em uma unidade de saúde em Cascavel (a 498 quilômetros de Curitiba). O local foi esvaziado, e os pacientes transferidos para outros hospitais.
O religioso apresenta quadro de febre alta e hemorragia, segundo nota da Secretaria Estadual de Saúde. A Guiné é um dos três países que mais registraram casos de morte pela doença no continente africano.
De acordo com o Ministério da Saúde, o paciente será transferido nesta sexta-feira, conforme protocolo de segurança, para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (Fiocruz), no Rio de Janeiro. “A transferência será feita por meio de aeronave da Polícia Rodoviária Federal”, informou a pasta por nota. A previsão é que o avião deixe o Paraná no início da manhã desta sexta-feira.
Por estar no vigésimo primeiro dia, limite máximo para o período de incubação da doença, foi considerado caso suspeito, seguindo os protocolos internacionais para a enfermidade. O ebola só é transmitido através do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes, ou pelo contato com superfícies e objetos contaminados. O vírus somente é transmitido quando surgem os sintomas.
Parentes de pessoas internadas e curiosos foram ao local após emissoras de rádio e TV divulgarem a suspeita, no início da noite. Uma coletiva com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, está marcada para esta manhã.
Caso de enfermeira assusta espanhóis
Duas pessoas que tiveram contato com a enfermeira Teresa Romero, 44 anos, infectada por ebola em Madri, Espanha, denunciaram ontem graves falhas na prevenção ao alastramento do vírus, como roupas inadequadas para lidar com a doente e falta de esterilização na ambulância que a transportou de casa para o hospital.
O médico que tratou dela numa clínica de urgências e que agora está internado em observação, Juan Manuel Parra, 41, enviou relato a dois jornais do país. Nos Estados Unidos, trabalhadores da limpeza de aeroporto de Nova York fizeram protesto, após morte de infectado no Texas.
Fonte da Noticia:O dia Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário